Porque Ele veio Feliz Natal!

Deus criou o homem para o louvor da sua glória. O homem não aterrizou no planeta Terra por obra do acaso, mas ele foi colocado neste mundo com um propósito. Cada vida é preciosa aos olhos de Deus e tem um lugar em sua criação.

Com Jesus não foi diferente, Deus o enviou ao mundo para cumprir o maior dos seus planos. A Terra, Deus deu aos filhos dos homens, e um homem para entrar neste planeta só é possível através de meios naturais, através do  ventre de uma mulher. Satanás entrou na Terra ilegalmente por força e usurpação, mas Jesus, mesmo sendo Deus, teve que passar nove meses em em um ventre materno e nascer como qualquer outro homem. Ele foi gerado por obra e graça do Espírito Santo, excepcionalmente, não precisou da semente de um homem, mas o próprio Deus o gerou. Teria que ser dessa forma, porque não existia semente humana que não estivesse contaminada com o pecado herdado de Adão.
Jesus veio, foi gerado por Deus no ventre de Maria,  assim, apto a ser sacrificado como um Cordeiro sem mácula e sem defeito algum pelos pecados da humanidade. Esse foi o propósito por que Ele veio. Nasceu para ser sacrificado em uma cruz! Não há como separar o Natal da realidade do Calvário. Nunca devemos fazer essa separação. Afinal, o valor de um homem não é medido porque nasceu um dia, mas como viveu e  morreu.

Jesus é a única resposta para a deplorável situação do homem, não  somente porque Ele   nasceu, mas porque Ele morreu e ressuscitou. Na sua morte e ressurreição está a nossa vitória. Jesus é a maior prova do amor de Deus pelo homem, ao enviar Jesus para resgatar o homem dos seus  pecados e voltar a ter comunhão com Ele . Ele deu o maior de todos os presentes que poderia dar, Deus  deu o seu melhor, não poderia haver maior dádiva para Ele oferecer. Há muita injustiça quando se diz que Deus não se importa com o ser humano, quando citam vítimas de tragédias naturais, de fome, criancinhas morrendo à míngua,  doenças e inúmeras outras misérias espalhadas pelo mundo. Não reconhecem o verdadeiro autor de todas as mazelas, foi assim desde o princípio, e, com o seu engano, continua a contaminar os homens e distorcer a imagem do Criador. Além de satanás, o próprio homem com suas más escolhas é responsável pela maioria das desgraças que o assolam.

Nesta semana, o mundo cristão festeja o Natal de Jesus. As pessoas, umas às  outras, desejam Feliz Natal, trocam presentes, reúnem-se em família, ceiam juntos na festa de aniversário que, na maioria das vezes, o aniversariante é proibido de entrar. Tão poucos têm entendimento da razão de Jesus ter nascido e quem realmente Ele é. E, mesmo festejando o Natal, os corações estão distantes do seu verdadeiro sentido porque não creem nele.

A história da humanidade seria bem diferente, se os homens conhecessem o Jesus do Natal e a razão por que Ele veio.

Porque Ele veio somos perdoados
Porque Ele veio temos salvação
Porque Ele veio somos filhos de Deus por adoção
Porque Ele veio somos livres da condenação eterna
Porque Ele veio temos confiança
Porque Ele veio temos paz
Porque Ele veio temos alegria
Porque Ele veio temos segurança
Porque Ele veio podemos amar e perdoar
Porque Ele veio somos mais que vencedores
Porque Ele veio podemos crer no amanhã
Porque Ele veio temos fé
Porque Ele veio fomos sarados
Porque Ele veio podemos vencer o mal
Porque Ele veio temos esperança
Porque Ele veio temos a Palavra de  Deus
Porque Ele veio temos comunhão com Deus
Porque Ele veio podemos permanecer nele
Porque Ele veio não tememos a fúria do inimigo
Porque Ele veio podemos orar e adorar
Porque Ele veio temos a vida eterna.

Jesus é tudo que precisamos, e somos infinitamente  gratos a Deus porque Ele veio. Feliz Natal!

Ele venceu a morte!

A morte é o maior inimigo do homem. Quando ela chega, causa um grande temor e não faz acepção de pessoas. A morte escolhe suas vítimas independentemente da etnia, da camada social, da religião, do sexo ou faixa etária. A morte bate à porta de todos trazendo sempre o seu terror e desespero. Por que a morte é tão aterrorizante e temida, apesar de todos saberem que o encontro com ela é inevitável?

O homem foi criado para viver eternamente. A morte entrou no mundo através da desobediência do homem ao seu Criador. Deus deu a terra para que o homem a dominasse e usufruísse de todos os seus bens. Como um bom administrador, deveria  cultivá-la, comer do seu fruto e com a  sua criatividade  usar todos os recursos disponíveis na natureza para grandes invenções. Além de ter acesso diário a Deus, que vinha conversar com ele na viração do dia. Mas,o homem abriu a porta para que a destruição entrasse. Preferiu dar ouvidos à mentira de satanás do que confiar na Palavra do seu Amigo e Criador.  O pecado mesclou o intelecto humano, a sua potencialidade foi afetada e bem pouco de sua totalidade é usada. A corrupção atingiu toda  estrutura humana em todas as suas dimensões, no espírito, na alma e no corpo. O relacionamento com Deus foi quebrado.  A  morte espiritual o atingiu, separando-o de de Deus, além da morte  física, que se tornou o seu maior inimigo na carne.

A boa notícia é que Deus manteve  o seu propósito quanto à criação do homem. Ele o criou para o louvor da sua glória e a queda do homem não frustrou o plano de Deus,  que  para resgatá-lo ainda tivesse  que pagar um alto preço. No dia em que Adão foi expulso do Éden, não como  um   castigo divino, mas em uma atitude de amor, para que não comesse da árvore da vida e tivesse que viver eternamente carregando as mazelas do pecado, Deus falou para Adão e para Eva sobre como seriam suas vidas com a consequência do pecado e, também, disse para a serpente (satanás) que da semente da mulher viria um que lhe feriria a cabeça e ele seria ferido no calcanhar. Ele não imaginou que isso se cumpriria na morte de Jesus na cruz.

Depois de aproximadamente quatro mil anos, a  promessa de Deus   começa a se cumprir: Jesus nasceu! O nascimento de Jesus é o início da derrota da própria morte. Jesus, depois de viver fazendo o bem e pregando as boas novas do reino de Deus, Ele foi traído pelos seus e conduzido à morte de cruz, a pior de todas as mortes. O próprio Filho de Deus humildemente a si mesmo se entregou. Para o inferno, parecia a maior das derrotas do reino da luz, mas ele estava enganado. A morte de Jesus foi a  maior vitória dos homens, porque Jesus não ficou detido na sepultura, apesar do seu espírito ter descido ao hades, de lá, Ele emergiu, trazendo consigo as chaves da morte e do inferno. O véu do templo se rasgou de alto a baixo, um novo caminho foi inaugurado e todos que quiserem poderão ter livre acesso a Deus, através do sangue de Jesus. O pecado não terá mais domínio sobre a vida daqueles que creem e querem ter uma vida de comunhão plena com o seu Deus e Pai. Jesus foi vitorioso, Jesus venceu a morte. A maior derrota do inferno foi a morte e ressurreição de Jesus. Não há mais necessidade de temer a morte, porque Jesus  a venceu, e se alguém está nEle, é vencedor com Ele! “Onde está, ó morte, o teu aguilhão? Onde está, ó inferno, a tua vitoria”? Jesus venceu a morte!

Espírito e Vida

No segundo domingo de Dezembro, comemora-se o Dia da Bíblia. A Bíblia Sagrada não é um livro qualquer e não pode se igualar a nenhum outro, ela vai mais além de tinta e papel. …As palavras que vos digo são espírito e vida. Jo 6.63

Quando contemplamos a obra da criação, ficamos a imaginar como tudo foi criado e se mantém até hoje, com sua beleza e singularidade peculiar que o melhor de todos os arquitetos, que já passou por este mundo, não seria capaz de criar um grão de areia.
O que mais impressiona é que tudo isso foi criado com a Palavra proferida pela boca de Deus, apenas o homem, Ele fez com as suas mãos e com o seu sopro lhe deu vida.
No livro de Salmos, 33.6,9, lemos: Pela palavra do Senhor foram feitos os céus; e todo o exército deles, pelo espírito da sua boca. Porque falou e tudo se fez; mandou, e logo tudo apareceu.
Se estivéssemos diante de alguém que falasse, e as coisas fossem sendo criadas, segundo a ordem de suas palavras, certamente acharíamos fantástico e sobrenatural, e muitos se encurvariam diante de tal pessoa. Obviamente, ficaríamos maravilhados, mas também muito assustados e sem explicação.

A Palavra de Deus tem poder vivificante e criativo. As palavras não são visíveis, mas têm significado e podemos sentir o seu efeito quando proferidas. As palavras que saem da boca do homem têm poder de morte ou vida. “A morte e a vida estão no poder da língua…”,  imagine as palavras que saem da boca de Deus! Naturalmente, as palavras não se perdem no espaço, nem no tempo, o que se diz, foi dito e não tem como se desfazer, a não ser com novas palavras  que às vezes são usadas para corrigir ou explicar o que foi mal dito, mas as velhas continuam lá. Por isso, é de suma importância usar a nossa fala com cautela.

Deus proferiu a sua palavra para expressar a sua vontade e revelar o seu caráter aos homens.  Ele é fiel naquilo que diz e promete. Deus não criou o homem e o jogou na Terra sem rumo ou direção, mas, desde o início, para Adão, Ele revelou a sua vontade quando o colocou no Éden. Com a transgressão de Adão à Palavra de Deus, ele sofreu duras e irreparáveis consequências, às quais passaram a toda descendência humana. Contudo, Deus fez uma promessa a Adão para resgatar o homem dos seus pecados e trazê-lo de volta para si, afinal, o homem foi criado com o sublime propósito de andar em comunhão com Deus e para o louvor da sua Glória. O propósito e o plano de Deus para o homem está delineado em sua Palavra revelada a homens que escolheram andar com Deus na caminhada da vida.  A Bíblia Sagrada, um compêndio de Livros escritos por 40 autores de diferentes épocas, traz a revelação genuína da vontade de Deus para o homem e ela se constitui em revelação e instruções, e,  dependendo do posicionamento do homem em relação a essa Palavra, ele colherá bênçãos ou maldições, vida ou morte.

Se a Palavra de Deus expressa a sua vontade, o homem tem obrigação de observá-la para não se desviar da vontade do seu Criador. A Bíblia Sagrada é a própria Palavra de Deus. A vontade de Deus em relação ao homem, direitos e deveres, não está oculta, mas revelada. Cabe a cada um observar e propor no seu coração obedecer, porque a sua Palavra não pode ser transgredida sem que se sofra as devidas consequências. Se o poder criador da Palavra de Deus é tão evidente nas obras da criação, as demais coisas, como o dever de cumprir  o que foi dito para a vida ou morte,  são irrevogáveis.

A Palavra de Deus, como já foi dito, é espírito e vida, ela se constitui no verdadeiro e suficiente alimento para o espírito do homem, gerando-lhe vida. A Bíblia diz que Jesus é o Verbo de Deus, Ele é a própria Palavra de Deus e através dele somente o homem tem acesso a Deus. Se alguém disser que ama a Jesus, mas não ama a sua Palavra, essa pessoa está investida de incoerência e engano.  Que haja uma corrida para se buscar diariamente, em todo o tempo, o alimento que traz vida, a Palavra  viva de Deus!