A Páscoa

Nestes dias, o mundo judaico-cristão comemora a Páscoa do Senhor. Páscoa, da palavra hebraica Pesah, significa passagem. Deus, para retirar o seu povo do cativeiro, enviou a décima e última praga sobre o Egito. O anjo da morte deveria passar à meia noite sobre todas as casas para matar os primogênitos. Para poupar os filhos mais velhos dos hebreus, Deus disse para eles aspergirem os umbrais de suas portas com o sangue de um  cordeiro,  que deveria ser morto em cada família.  O anjo, ao  ver o sangue,  passaria por aquela casa sem fazer dano algum. Assim, o povo de Deus seria poupado da mortandade que assolou todas as famílias egípcias.

Depois da saída do povo do Egito, por ordem do Senhor,  a festa judaica da Páscoa continuou a ser celebrada  todos os anos pelos judeus, através  de suas gerações.  Os judeus sempre viveram à espera do Messias que lhes foi prometido desde tempos remotos. A Páscoa apontava para o Cordeiro que deveria ser morto para que os homens pudessem ter a vida eterna. Jesus veio e viveu entre os judeus, pregando sobre o Reino dos céus e anunciando as boas novas da salvação.  João Batista, o precursor de Jesus, falava ele: Eis o Cordeiro de Deus que tira o pecado do mundo. Os seus irmãos não lhe deram crédito e,  por incredulidade e inveja, o entregaram para ser crucificado.  Jesus foi morto exatamente quando os judeus comemoravam a Páscoa, no dia da preparação, em uma sexta-feira, quando eles sacrificavam também  os  seus cordeiros. Os judeus não perceberam que naquele dia, as Escrituras se cumpriam, o Cordeiro de Deus estava sendo entregue para que os homens não fossem condenados.”Porque Deus amou o mundo de tal maneira que deu o seu único Filho para que todo aquele que crê, não pereça, mas tenha a vida eterna”.

A Páscoa que começou no Egito foi um meio para que os filhos mais velhos fossem livres da morte. O cordeiro morreu no lugar de cada um.  Jesus, o Cordeiro de Deus, morreu no lugar  de todos os homens para que seus pecados fossem perdoados  e tivessem livre acesso ao Pai.  Deus  é Santo em todos os caminhos, Ele  abomina o pecado, mas perdoa o homem pecador que se arrepende. Da mesma forma que os hebreus precisavam crer para aspergirem o sangue do cordeiro pascal nas vergas e umbrais de suas casas, a salvação eterna é apenas para os que creem, esses têm os seus pecados perdoados e são justificados pelo sangue de Jesus.

Hoje, a situação do mundo assemelha-se muito a do Egito,  em cada nação o anjo da morte tem passado. Mas o sangue  do Cordeiro de Deus continua em atividade, podendo livrar da morte os que creem, não apenas da morte eterna, mas também da morte física.

Páscoa é vida, é perdão, é comunhão  com Deus, é cura. Páscoa é  liberar perdão ao próximo, é comunhão uns com os outros, é cura nos relacionamentos, é desfrutar da paz e da alegria da  salvação que somente Jesus pode dar. Páscoa é a manifestação da graça e do amor de Deus!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *