Provisão divina – Palavras que edificam

Há sempre muita discussão sobre prosperidade, provisão de Deus ou qualquer outra coisa relativa a bens materiais e dinheiro. O homem sempre cria problemas com temas relacionados a esse assunto, mas na Palavra de Deus há princípios bíblicos que não devem ser ignorados por aqueles que amam a Deus e têm prazer na sua vontade.

Precisamos ter cuidado para não compactuarmos das ideias  do time dos “Judas”. A Bíblia diz que Judas tinha “a bolsa”, ele era uma espécie de tesoureiro, mas era  ladrão. Por isso, quando Maria quebrou o vaso de alabastro, com um perfume caríssimo, para ungir os pés de Jesus, Judas censurou-a: Que desperdício! Não poderia esse perfume ser vendido e o dinheiro ser doado aos pobres? Ele não amava os pobres e não estava interessado em repartir nada com eles. Nenhum ladrão é generoso ou sensível à necessidade alheia.

É comum se ouvir que todos os pastores são ladrões. Muitos tomam isso como verdade e, por isso, não entregam o dízimo ou ofertam na Casa do Senhor nem em nenhum outro lugar que precisa de mantimento para que a obra de Deus avance. Os que falam isso e deixam de obedecer aos princípios divinos, não são confiáveis. Se eles nivelam todos os líderes eclesiásticos à infidelidade,  certamente agiriam como Judas, se estivessem no lugar deles.

O vídeo a seguir, traz com muita propriedade o dar e receber, o semear e colher, como princípios espirituais que devem ser aprendidos e observados por todos que temem o Senhor.  Deus é fiel, sua contabilidade é divina e seus princípios  invioláveis.

 

Por que orar?

Por que precisamos orar, se Deus sabe todas as coisas? A Bíblia diz que antes que as palavras cheguem a nossa boca, Deus já as conhece todas.

Deus, por princípios estabelecidos por Ele mesmo, só age na Terra através  dos homens. A Bíblia diz que os céus são os céus do Senhor, mas a terra Ele deu aos filhos do homens. Sl 115.16.  Ao criar o homem, Deus disse que Ele dominaria a Terra, mas  com a queda, o homem deu legalidade a satanás a agir em sua casa, ou seja, o poder de governo que Deus outorgou a ele, o  homem dividiu  com o príncipe das trevas. Mt 4.8-9. Deus é justo, Ele não viola as leis que Ele mesmo estabeleceu. O homem deve se responsabilizar pelas consequências de sua escolha e  autorizar  Deus a agir. Através da oração, o homem tira da mão de satanás o poder de ação e transfere para Deus. Para um melhor entendimento, suponhamos que alguém colocou uma causa na mão de um advogado, dando-lhe uma procuração. Nenhum outro advogado, por melhor que seja, poderá fazer qualquer coisa por essa pessoa. Ele somente que poderá transferir o poder de atuação, anulando a legalidade de um e transferindo para o outro. Nessas condições, podemos considerar que todo e qualquer tipo de oração é uma guerra. O detentor  e usurpador dos direitos do homem, não fica satisfeito quando o homem deixa-o para trás e  faz a opção de andar sob o domínio do Senhor Jesus,  confiando a Ele as demandas da sua vida.

Além desse entendimento,  precisamos orar porque é uma ordem divina. Orar é dizer a Deus que dependemos dEle e sem Ele não podemos fazer nada.  Jesus tinha uma vida de oração.  Ele é o maior exemplo de vida de oração, e aparentemente não tinha necessidades, Ele era o Filho de Deus.  Oração não é  apenas uma série de petições ou uma lista de desejos que trazemos diante de Deus e marcamos os que vãos sendo atendidos. È verdade que Jesus prometeu responder as nossas petições pessoais  e de intercessão pelos outros, e somos respaldados com a sua Palavra em sermos persistentes. Mt 7.7.  Mas oração é muito mais do que isso, é mais do que possamos imaginar.

Oração é relacionamento com Deus, é lugar de comunhão com Ele. Isso inclui momentos de contemplação, de louvor e adoração ao seu nome. Podemos ter intimidade com Deus, não somente quando tiramos um tempo específico para estarmos em oração, mas continuamente.

Oração é um estilo de vida. Podemos desfrutar da sua presença em qualquer lugar ou a qualquer momento, Ele quer ter participação ativa  em nossas vidas e em nossos pensamentos e isso depende de cada um, mantê-lo permanentemente em si mesmo. Ele prometeu que moraria em nós se amássemos a sua Palavra, se o amamos não podemos ignorar a sua presença e participação em tudo que fizermos. Assim,  oração é um meio pelo qual mantemos o nosso coração em chamas por Jesus.

Oração é direção de Deus para as nossas decisões, por menores que sejam. Se Ele é um amigo que está sempre em nossa companhia, Ele é participativo, não anda conosco em silêncio, mas, através de um testemunho ou voz interior no nosso espírito, Ele dirige os nossos passos.

Oração é confiança em Deus. Não existe diálogo, muito menos petição a alguém, se duvidamos da sua existência e não confiamos nela. Confiamos quando conhecemos. Há um convite por parte do profeta Oseias: Conheçamos e prossigamos em conhecer ao Senhor… Os 6.3.  Através da sua Palavra, podemos conhecê-lo em profundidade, e nossas orações deverão  estar alinhadas com a sua vontade. Por isso, são tantas orações não atendidas, tantos desejos que não se materializam.

Oração envolve fé, não é um salto no escuro, envolve ver o sobrenatural de Deus. Ele é Espírito, e importa que todo aquele que se aproxima dele, creia que Ele existe. Sem fé é impossível agradar a Deus, sem fé não há resposta de oração.

Oração é a melhor forma de amar.  Se tivermos dificuldade em amar uma pessoa, experimentemos orar por ela, ou seja, falar com o nosso amigo Jesus sobre ela. Um amor vai fluir naturalmente, e todo sentimento amargo certamente desaparecerá.

Oração é um meio pelo qual mantemos o coração em paz e livre de ansiedades.7 Fp 4.6- Qualquer problema que nos aflija podemos colocar nas mãos do Criador de todas as coisas, do Deus Soberano, que tem todo o poder e para Ele não há impossíveis, então, podemos descansar se confiarmos a Ele todas as nossas encrencas.

Enfim, oração é o oxigênio que nos mantém saudáveis e íntimos do nosso Pai. Sim, precisamos orar sempre e nunca desfalecer. Precisamos e podemos sempre sair vencedores nessa guerra!