Os tipos de solo

Jesus ensinou algumas verdades espirituais com a parábola do semeador.  Lc 8.5-15. Além do semeador, os elementos da parábola são a semente e os quatro tipos de solo: da beira do caminho, dos pedregais, dos espinhos e da boa terra.

Os discípulos não entenderam bem a parábola e pediram a Jesus uma melhor explicação. E Jesus começou dizendo que a semente é a Palavra de Deus que é semeada no coração. Dependendo da atitude do coração, a semente frutificará ou não. O primeiro coração é como um solo de beira do caminho, endurecido, a palavra semeada é roubada pelo inimigo antes que seja germinada. O segundo coração é semelhante a um solo pedregoso, com pouca terra, a palavra semeada germina rápido, mas, sem profundidade, não permanece. O terceiro coração é como um solo tomado por espinhos,  as preocupações com o mundo e a sedução das riquezas sufocam a palavra recebida que não frutifica. O quarto tipo de coração recebe a palavra de Deus,  a compreende  e frutifica como uma boa  terra.

A Palavra de Deus é uma fator determinante para que a fé brote no coração e a pessoa seja  salva, mas depende de cada coração que a recebe.  Jesus é a própria palavra de Deus. A Palavra é a verdade, é a vida. Não há frutos sem que a semente seja semeada por um semeador. Não há almas salvas se não houver um pregador que pregue a Palavra. “Como, pois, invocarão aquele em quem não creram? e como crerão naquele de quem não ouviram? e como ouvirão, se não há quem pregue”? Rm 10.14 . Diante da Palavra, cada um pode crer nela ou rejeitá-la. “Quem me rejeitar a mim, e não receber as minhas palavras, já tem quem o julgue; a palavra que tenho pregado, essa o há de julgar no último dia”. Jo 12.48

Cada um é responsável pela atitude do seu próprio coração.  O Espírito Santo convence o homem do pecado, da justiça e do juízo de Deus, mas o  seu papel só é executado em parceria com a Palavra. O Espírito Santo não faz a obra sozinho. Assim, cabe a cada homem colocar o seu coração em uma atitude propícia para receber a Palavra de Deus, de forma que ela permaneça e venha a frutificar. Conforme 1 Tm 2.4, “Deus deseja que todos os homens sejam salvos e cheguem ao conhecimento da verdade”. Se a salvação é apenas uma atribuição de Deus, sem envolvimento da decisão humana, não teria nenhum sentido essa Palavra estar nas cartas de Paulo. Deus é Soberano, mas ao criar o homem Ele lhe deu o direito de escolha, e Deus não viola os seus princípios e o que Ele mesmo outorgou.  “E eu quando for levantado da terra, todos atrairei a mim” Jo 12.32.  Os escolhidos de Deus são os que creem em Jesus. O homem natural está sob a legislação do seu país, ele escolhe obedecer as leis ou não e é consciente  das consequências da desobediência.

Podemos dizer, também, que a parábola mostra quatro tipos de pessoas quanto à forma de receberem a Palavra , indiferentes, emotivas, mundanas e frutíferas. Se porventura alguém tem um solo endurecido, de beira de caminho, precisa trabalhar no solo para que ele possa receber sementes que venham a germinar. Se a única opção é um solo pedregoso, é remover as pedras e acrescentar mais terra, se o solo está tomado de espinhos, deve-se cortar os espinhos e preparar a terra. Vai depender do valor que cada um dá ao fruto que a semente pode dar. Outras referências bíblicas,  Rm 1.16-17; 1 Co  15.1-2,11, Mt 7.24-29, enriquecem esses pensamentos e respaldam o valor da Palavra de Deus no processo da salvação e a responsabilidade do homem de abrigá-la para que ela seja frutífera na vida de cada um, levando-o ao conhecimento de Deus e à salvação eterna.

A Palavra revela a justiça de Deus, a Palavra de Deus traz vida e direção,  Palavra é o caminho, a verdade e a vida, a Palavra é Jesus. A Palavra de Deus é a semente e como o seu coração a tem recebido?

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *