A hora das trevas

O mundo sempre experimentará momentos de trevas. Foi assim desde o princípio. Não por  escolha divina, mas pela maldade dos corações humanos.

A Bíblia é clara a Terra foi dada aos filhos dos homens. No Éden, o homem, ao ouvir a voz do inimigo e duvidar das recomendações de Deus, seu amigo, que diariamente encontrava-se com ele, pagou um alto preço que se perpetuou por todas as gerações: Ficar longe de Deus e ter que conviver com o seu inimigo em sua própria casa, a Terra,  por tê-la arrendado a satanás. Satanás é o mais astuto de todos os seres  e  sempre teve a sua maior e melhor arma, o engano. Hoje, ele continua usando as mesmas táticas mentirosas e arrebanhando multidões  para o seu reino.  Até Jesus sofreu as afrontas  das trevas. Ele não se rebelou no momento em que o prenderam, como Pedro sugeriu ao cortar com uma espada a orelha de um servo do sumo sacerdote, mas  Jesus, naquela hora sombria,  disse para os seus algozes: “Esta é a hora de vocês – quando as trevas reinam”. Lc 22.53b (NVI)

O homem tem domínio  sobre a Terra, isso  está em vigor. Deus ainda não revogou esse princípio. Homens maus, sedentos de poder e servos das trevas, têm se levantado em todas as nações, ignoram o Criador, trazem danos a outros homens e à criação de Deus. Apesar de Deus ter dado ao homem o governo da Terra, algumas vezes Ele intervém com a sua Soberania e Poder, mas, quando isso acontece, é  para trazer juízo, como em Sodoma e Gomorra e no dilúvio de Noé.

O que o homem pode fazer para reverter as situações caóticas que ele mesmo tem estabelecido? Retirar o domínio que lhe foi dado da mão de satanás e submetê-lo à Deus. Para isso, o homem precisa reconhecer o seu pecado, arrepender-se e se submeter à vontade de Deus. Assim, nasce o poder da oração. As trevas têm a sua hora e o seu poder, mas não são duradouras quando homens e mulheres intercessores reconhecem a soberania de Deus  e, pela fé, repreendem a sua ação e elas são dissipadas.

Jesus reconheceu a hora das trevas, na hora em  que ele foi preso e humilhado, sem nenhuma culpa, Ele se submeteu as suas afrontas. Mais adiante, a Palavra de Deus diz que houve literalmente três horas de trevas, do meio-dia até à hora que Jesus expirou, às quinze horas. O inferno fez festa, cantou vitória, mas durou pouco. Jesus, aquele que penduraram  na cruz, adentrou as portas do inferno e tomou as as chaves da morte e do inferno da mão de satanás. Jesus derrotou a morte e ressuscitou, Ele está vivo, Jesus foi recebido no céu com grande júbilo e tornou-se o intercessor entre Deus e os homens que creem.

Estamos atravessando uma hora de trevas, vai ser longa ou curta, dependendo das intercessões que chegam aos céus e liberam o agir de Deus na terra.  As trevas sempre passam,  na presença da luz elas não prevalecerão sobre o reino de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *