Quem sou eu?

Nos dias atuais, nos quais há uma tendência à massificação, há uma grande crise de identidade. Muitos, literalmente, desconhecem sua origem, seus pais e muito menos sabem quem são. É comum, no meio da multidão, uma pessoa sentir-se sozinha e imaginar que é apenas “mais um” na grande massa de seres humanos.

Não estamos aqui, no planeta Terra, por acaso. Por mais que alguém seja rotulado como alguém que não faz  diferença, todos, sem exceção, são importantes diante do seu Criador. Ninguém cria algo sem nenhum propósito. Por mais que as criações dos homens pareçam não ter valor diante dos outros, para o seu criador tem um significado peculiar. Imagine a criação de Deus!  O homem não pode conhecer o seu devido valor se não voltar a sua origem. Deus é o autor da vida, Ele criou o primeiro homem e deu-lhe poder de multiplicação, mas o próprio Criador é que dá a vida e a tira. Dt 32.39. Então, todos têm sua origem no próprio Deus. E qual o  seu propósito na formação do homem? Ele não criou o homem como um passatempo para preencher a sua vida sem fim ou como um brinquedo para sua diversão. Ele criou o homem, segundo a sua imagem e semelhança, para o louvor de sua glória, para se alegrar com ele, em um relacionamento de intimidade e para sempre. Is 43.7; Ef 1.12.

O  homem fora do propósito para o qual foi criado – Infelizmente, o primeiro homem não correspondeu a esse propósito e  passou a todos os seus descendentes a consequência da sua desobediência, a morte e separação eterna do seu Criador. Deus não desistiu do homem e enviou o seu Único Filho, Jesus, para pagar o preço do pecado da humanidade, para todos que crerem nEle, não pereçam, mas tenham a vida eterna e não sejam apenas criaturas, mas filhos e co-herdeiros com Cristo das riquezas da sua glória.

Quem eu sou? Criatura ou filho – a escolha cabe a cada um. Ainda que não se tenha um referencial paterno nesta vida, todos podem receber Deus como Pai, e Ele é bom e amoroso. Assim, o homem sabe quem verdadeiramente é, filho de Deus, e ninguém poderá roubar a sua paternidade. Se alguém rejeitar essa verdade, continuará no mundo desconhecendo a sua verdadeira origem, sem identidade  e sempre com um vazio que só o amor do  Pai Celestial pode preencher.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *