O justo já é justo!

Certa vez, os fariseus interrogaram  Jesus porque ele comia com os publicanos e pecadores. Jesus respondeu: Os sãos não precisam de médicos, mas sim os doentes. Não vim chamar justos ao arrependimento, mas pecadores.

Para analisarmos essa declaração de Jesus, precisamos entender que há duas categorias de pecadores,  aqueles que se acham justos aos seus próprios olhos, por mérito próprio, e não precisam de Jesus porque pensam  que nunca pecaram. Esses nunca experimentarão da graça de Deus, porque não têm nada que se arrepender.  Este grupo são os que não precisam de médico, eles se acham sãos.                                                                                    Existem os que reconhecem que são pecadores e precisam da graça de Deus para serem justificados. Que por si só, não têm condições de se tornarem justos diante de Deus. Jesus veio para este segundo grupo, que são os doentes que precisam de médico. Jesus estava ali para resgatá-los. Como alcançá-los se não se misturasse com eles, não para ser influenciado, mas para influenciar? Jesus não estava com os pecadores para aderir ou aprovar as suas práticas reprováveis, mas para levá-los à prática da verdade e da justiça.

Não há nada que o homem por si só possa fazer para comprar a sua justificação diante de Deus. Se isso fosse possível, Deus não entregaria o seu único Filho para sofrer tão horrendo sacrifício em prol do resgate de nossas almas.

O segundo grupo de pecadores, agora chamados justos, pela  justiifcação de Jesus, e por entenderem  que Jesus sacrificou sua vida em seu lugar, devem viver em total dependência da sua graça e gratidão por terem seus pecados perdoados. O pecado não terá domínio sobre sua vidas porque suas mentes foram renovadas pelo entendimento da Palavra de Deus. Devem ser imitadores de Cristo, propagadores da sua salvação pela graça, não retornarem  ao jugo da desobediência nem se prenderem em quatro paredes, mas devem ir lá fora, onde os pecadores estão. Não para copiar suas práticas pecaminosas, mas atraí-los em amor, pela compaixão de Jesus. Vigiando sempre para não serem influenciados, mas para influenciar porque só há cura para o coração doente no médico dos médicos, Jesus, aquele que veio há dois mil anos com a resposta certa para cada coração doente e distante de Deus.

Sim, os que se acham justos aos seus próprios olhos já são justos, os sãos não precisam de médico, não precisam de Jesus, continuarão sob condenação eterna. “Porque o salário do pecado é a morte, e todos pecaram e ficaram destituídos da glória de Deus”. Mas Jesus morreu para nos tornar justos diante de Deus.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *